sábado, 27 de setembro de 2014

MEU JEEP NOVO

Gosto dos carros pequenos, fortes e sem frescuras.
Gosto de carros que enfrentam estradas de terra e buracos mas que também se saem bem no asfalto.
Amo, amo, amo os jeeps! Os pequenos 4 x 4!

"Chiquinho" na Serra da Canastra. Cachoeira Casca D'Anta ao fundo.
Meu Amor compartilha desta paixão. Uma vez compramos um Niva usado e passamos nossas férias rodando por estradas poeirentas e lamacentas. Foi o paraíso, um céu! De volta ao asfalto, o Niva, batizado “Chiquinho” foi vendido. Ficou a saudade daquelas férias deliciosas.

No ultimo aniversário eu ganhei um jeep, novinho em folha, de presente!


É robusta, quadradona e feiinha que só, valente, pesada, trabalhadeira, enfim, é um verdadeiro jeep, quase um Niva.
Eu queria uma maquina de costura que não fosse eletrônica, que tivesse enfiador de agulha, que abaixasse o serrilhado e aceitasse o pé calcador para quilting, que fizesse zig zag e que eu pudesse mexer nos comandos com ela funcionando. Meu jeep faz tudo isto e um pouco mais.
É ótima para os trabalhos “grosseiros” e perfeita para os delicados.


Seria mais maravilhosa se tivesse cortador automático de linha. Singer, fica aqui a sugestão!
Ela e eu estamos nos divertindo em “off roads” variados. É nossa fase de namoro, conhecimento mutuo, encantamento e magia. 

Felicidade total é um brinquedo novo! Digo, um jeep novo!

terça-feira, 23 de setembro de 2014

domingo, 21 de setembro de 2014

7 POSES - QUEM LEMBRA? e BRINCANDO COM A CHICA

Dia especial. Quase como dia de festa.
Dia considerado de evento importante, na época. De roupa e sapatos novos, fui levada ao fotógrafo. Deveria ter, no máximo, uns 3 anos de idade.
Lembro do meu vestido. Era de um tecido azul clarinho bordado com umas bolinhas no mesmo tom, rendinhas enfeitando o decote. Sapatinho de verniz preto. 
Recordo do studio, das poses, a câmera no tripé, o fotografo que olhava por cima  dela.

A famosa foto “7 poses”. Era considerado "muito chique" ter uma foto desta.

Uma das poses costumava ser com a criança segurando um telefone mas, minha mãe (ou seria minha irmã mais velha?) não gostava deste jeito...

Fiquei preocupada e até um pouco aflita na hora da pose do assobio. Era só fingimento, eu não sabia assobiar. Reparando com atenção, meu olhar está diferente nesta pose... 
Mentir (ou fingir) foi e continua quase impossível. 

Mocinha adolescendo, indo para a escola, passava, quase todos os dias, em frente ao “Foto Lorena” e minhas 7 poses continuavam lá, enfeitando a vitrine. Ano após ano.
Um dia (adolescente chata) entrei e perguntei: -“Moço, esta foto tem mais de 10 anos... não apareceu nenhuma menininha mais bonitinha que esta aí não?”

No dia seguinte, a foto fora retirada da vitrine. Eu não estava nem um pouco preparada para a decepção que senti.
E, desta forma, acabaram-se meus anos de glória, minha carreira de  enfeite de vitrine.

Perdi a carreira mas, não perco a brincadeira (pelo menos a da Chica).

Minha frase:

Eleições chegando...
sensação de beco sem saída.

Boa semana!